Quais vacinas tomar antes de viajar? 

vacinas

A importância das vacinas para o mundo vão além de qualquer especulação ou teoria maluca que possam inventar por aí, tratando-se de garantirmos a própria segurança enquanto também poupamos outras nações do que carregamos durante um trajeto a outro.

O que você vai ler por aqui

Viajar é levar um pouco de si para todo lugar e absorver um pouco daquele novo lugar para somar em nossa composição, e isso por si só é lindo, mas também traz um fator complexo que é sobre a nossa saúde.

O mundo não estava preparado e nem levou tão a sério quando as primeiras notícias sobre o vírus da covid-19 começou a infectar pessoas ao redor do mundo, até o nosso então presidente fez infelizes piadas e ações vexatórias em torno do assunto, mas a realidade foi devastadora.

Foram 3 anos de crises sanitárias, financeiras, sociais e tantas outras coisas em torno disso, inclusive fazem dois dias (05/05/2023) que a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou o fim do assunto como pandemia, já que apesar dos casos ainda existirem, dessa vez – após uma extensa campanha de vacinação, foi controlada.

Mas saúde não é só estar livre da covid-19 e o vírus nem mesmo representa o que de mais sério poderiamos transmitir de uma pessoa para outra,

Atenção: Não somos e não devemos ser a principal referência do viajante nesta temática, sempre consulte um médico e os orgãos competentes sobre o assunto.

As vacinas mais importantes para viajantes

Uma importante medida para estar seguro no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo, é estar com as vacinas em dia, e por aqui estamos falando de saúde preventiva e não necessariamente de obrigações burocráticas, pois nenhuma vacina é comumente exigida para a entrada em um país, sendo essa uma medida de autocuidado que deve partir por iniciativa própria.

As vacinas podem nos prevenir de doenças endêmicas ou transmissões inesperadas por insetos, por exemplo.

Mais do que entrar em detalhes do que cada doença causa, o que pode ser resolvido em uma pesquisa rápida por qualquer site ou canal focado no assunto, aqui vamos trazer apenas a lista de principais doenças que já podem ser evitadas ou ter suas chances de contágio muito reduzidas com a aplicação de uma vacina única ou recorrente, ok?

Hepatite A e B

A Hepatite A é transmitida principalmente por alimentos e água contaminados, enquanto a Hepatite b é transmitida peor fluidos corporais infectados (como itens de manicure/pedicure) e também via sexo – sendo considerado uma DST.

A vacina da Hepatite A normalmente ocorre em duas doses únicas na infância, mas pode ser tomada a qualquer momento a partir do 1 ano de idade. Fonte.

Já a Hepatite B é administrada em 3 doses a partir do momento de nascimento: com intervalo de 1 mês entre a primeira e a segunda e de seis meses entre a primeira e a terceira dose. Pessoas com imunodeficiência (como portadores do HIV) podem tomar até 4 doses para prevenção da doença. Fonte.

Febre Amarela

A Febre Amarela é uma vacina conhecida e demandada ou recomendada para quem visita áreas como o norte do Brasil, além de ser obrigatória em países como Bolívia, Colômbia e muitos outros países da América do Sul e continente Africano, onde a doença é endêmica e transmitida via mosquitos infectados. É muito importante verificar a necessidade de vacina de febre amarela, pois além da vacina, é normalmente necessário a emissão do certificado internacional da vacina.

Apenas uma dose da vacina de febre amarela é necessária, com exceção para quem a tomou antes dos 5 anos – que é quando os especialistas recomendam um reforço posterior. Fonte.

Meningite

A Meningite é causada por uma bactéria e pode ser transmitida por uma pessoa contaminada via fluidos orais, como fala, tosse, espirros e beijos, passando de uma garganta para a outra.

Com potencial epidêmico, no Brasil o tipo mais comum da doença é o tipo “C” enquanto no resto do mundo é o tipo “A” a principal versão da bactéria causadora da doença, sendo que no total existem cerca de 12 sorogrupos.

A vacinação pode variar, existindo específicas para cada sorogrupo mencionado, sendo que no SUS ocorre em duas doses e é recomendada a partir dos dois meses de idade. Fonte.

Tétano e Difteria

Tétano e Difteria podem são doenças infecciosas que podem ser transmitidas por meio de ferimentos ou objetos contaminados. Conhecida como vacina “Tdap”, a vacina que combina proteção para as duas doenças mencionadas + Coqueluche ocorre pelo SUS em 5 doses à partir dos 2 meses de idade e uma dose de reforço após 10 anos.

Tétano pode ser causado pelo contato com ferruem, por exemplo, enquanto difteria é transmitida via fluidos orais ou lesões na pele, sendo ambas doenças muito graves. Fonte.

Encefalite Japonesa

A Encefalite Japonesa é um desafio específico para quem pretende visitar regiões rurais da Ásia Oriental, onde a doença é causada por mosquitos infectados. Um detalhe importante sobre a vacina contra Encefalite Japonesa, é que ela não está disponível no Brasil, ao menos não nas redes públicas, o que não impede médicos de a receitarem se identificarem que o seu perfil pode demandar o uso dela, o que vai resultar na necessidade de tomar a vacina durante uma viagem para um país que a disponibilize.

Sarampo, Caxumba e Rubéola

A vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola é conhecida como tetraviral ou tetrava,e te e é indicada para crianças em duas doses, sendo a primeira aos 12 meses e a segunda aos 15 meses de idade, e as mesmas doses para pessoas com até 59 anos de idade, sendo que a partir dos 60 apenas uma dose é recomendada.

As doenças são graves e podem ser fatais, como no caso do Sarampo que é causado por um vírus e transmitido via fluídos orais. Fonte.

Covid-19

Por fim, temos a vacina mais popular do momento, que é a de COVID-19. Polêmica desde sua criação, hoje muitos países não permitem a entrada sem a comprovação de ao menos duas doses dessa vacina, que deverá ser repetida todos os anos (assim como a vacina da gripe hoje).

Existem muitas versões da vacina, que reduz os possíveis fortes sintomas da covid-19 que podem envolver falta de ar e problemas pulmonares, podendo ser tomada hoje por crianças com à partir de 6 meses de idade. Fonte.

Medidas Gerais

Além de tomar as vacinas necessárias – tanto para viajar, quanto para ter mais segurança no geral, é importante que mantenhamos alguns cuidados e tenhamos uma higiene mínima em todo lugar que frequentamos:

  • Lavar mão com água e sabão com regularidade;
  • Evitar água e alimentos que desconhece a procedência ou que sabe que não são tratados;
  • Usar repelente para insetos;
  • Utilizar proteção solar;
  • Ter sempre álcool em gel por perto (sim, a moda pegou e é muito positiva)
  • Ter sempre uma máscara descartável ou pano por perto (nunca se sabe quando vai precisar de uma)

E por fim, sempre pesquisar muito sobre os destinos que pretende visitar.

Ninguém precisa ter medo do mundo, basta termos os cuidados necessários para todos os lugares que queremos visitar e nos preparar para vivencia-los com segurança.

E por aí, Nomadico: Está com as vacinas em dia e bem informado sobre o seu próximo destino?

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Artigos Relacionados

You cannot copy content of this page